GASES ENCONTRADOS EM INCÊNDIOS

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Telegram

Sumário

GASES ENCONTRADOS EM INCÊNDIOS

As condições críticas durante um incêndio em uma edificação induzem a
sentimento de insegurança, podendo gerar pânico e desequilíbrio emocional,
ao ponto dos ocupantes se arremessarem pelas janelas. Nessas situações de
emergência, as pessoas tendem institivamente se afastar do evento
desastroso, com o objetivo primordial de salvaguardar suas vidas, deslocando-
se para um local seguro.
O sucesso ou o fracasso da evacuação dos ocupantes de uma edificação
envolvidos em um sinistro, tal como incêndio, dependerá de diversos fatores
que influenciam o comportamento humano. Dentre esses fatores, pode-se
destacar:

1. existência de gases tóxicos (que será o tema a ser abordado);
2. a presença de fumaça;
3. existência de chamas;
4. o aumento da temperatura e
5. a diminuição da concentração de oxigênio, causadores da instabilidade
cognitiva nos envolvidos, podendo contribuir com o surgimento de
comportamentos não adaptativos ou disfuncionais.

Dos gases tóxicos mais comuns e vilões encontrados em incêndios, temos:

1. o monóxido de carbono (resultante da combustão incompleta);
2. cianeto (de hidrogênio), decorrente da queima de produtos compostos
por polímeros sintéticos e plásticos.

Além disso, considerados os maiores responsáveis pela intoxicação
sistêmica e causadores da redução do nível de consciência, podendo até
causar morte por asfixia. A inalação de gases e partículas, são responsáveis
em até 77% dos pacientes vítimas de queimaduras.

2
[…], a lesão inalatória é complicação grave do paciente
queimado ou vítima de incêndio e importante causa de
morbimortalidade. Dentre os fatores que contribuem para isso,
encontram-se a alteração na função pulmonar, que
rapidamente pode levar à hipoxemia de difícil manejo e à
intoxicação pela inalação de subprodutos tóxicos, como o
monóxido de carbono e o cianeto. (BASSI et al 6 , 2014, p. 424).

Antônio, Castro e Freire (2013) afirmam: “A lesão de vias aéreas
superiores resultando em obstrução nas primeiras 12 h após o incidente é
causada por dano térmico direto e/ou irritação química.”
O Manual básico de Combate a Incêndio, do Corpo de Bombeiros Militar
do Distrito Federal, estabelece 04 (quatro) fatores que influenciam na liberação
dos gases tóxicos. São eles:

1. A natureza (composição química) do combustível;
2. O calor produzido, ou seja, o seu nível de energia;
3. A temperatura dos gases liberados e
4. A concentração de oxigênio.

Esquema 01 – Fatores que contribuem na liberação dos gases tóxicos em
incêndios.

GASES ENCONTRADOS EM INCÊNDIOS im1

A toxidade será determinada em função das substâncias tóxicas presentes na fumaça e nos gases liberados. No quadro 01, pode-se verificar os principais gases liberados em um incêndio, além das suas implicações à saúde humana:

GASES ENCONTRADOS EM INCÊNDIOS Capturar.3PNG

Observação: o gás cianídrico, cianeto ou cianureto de hidrogênio (HCN), é considerado o gás mais perigoso existente na fumaça, aproximadamente vinte vezes (20x) mais tóxico que o monóxido de carbono (CO). 

Na ilustração abaixo, pode-se verificar uma intoxicação por monóxido de carbono (CO), o qual combina-se rapidamente com o ferro da hemoglobina, fenômeno conhecido como carboxihemoglobina. Essa combinação impede o transporte de oxigênio no sangue, podendo gerar mortes fulminantes em poucos segundos de exposição (Manual básico de Combate a Incêndio, do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal, 2006).

GASES ENCONTRADOS EM INCÊNDIOS Capturar.4PNG

REFERÊNCIAS

ANTÔNIO, Ana C. P.; CASTRO, Priscylla S.; FREIRE, Luiz. O. “Lesão por inalação de fumaça em ambientes fechados: uma atualização”. Jornal Brasileiro de Pneumologia, São Paulo, vol. 39, nº 3, p. 373-381, abr.,2013.

BASSI, Estevão et al. “Atendimento às vítimas de lesão inalatória por incêndio em ambiente fechado: o que aprendemos com a tragédia de Santa Maria”. Revista Brasileira de Terapia Intensiva, São Paulo, vol. 26, nº 4, p. 421-429, out., 2014.

CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL. Manual Básico de Combate a Incêndio. Brasília: Boletim geral nº 216, 2006. 

OLIVEIRA, Ana Paula Brito; PERIPATO, Lilian Albregard. “Cobertura ideal para tratamento em paciente queimado: uma revisão integrativa da literatura”. Revista Brasileira de Queimaduras, Goiânia, vol. 16, nº 3, p. 1-6, mai., 2017.

PINHO, Fabiana Minati de et al. “Cuidado de enfermagem ao paciente queimado adulto: uma revisão integrativa”. Revista Brasileira de Queimaduras, Goiânia, vol. 16, nº 3, p. 181-187, set., 2017.SOUZA, Rogério et al. “Lesão por inalação de fumaça”. Jornal Brasileiro de Pneumologia, São Paulo, vol. 30, nº 5, p. 557-565, fev.,2004.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram

Fale com um especialista

Converse com um especialista agora pelo WhatsApp

Obtenhas respostas imediatamente.
Clique aqui
CASES DE SUCESSO
Conheça alguns dos clientes que estão protegidos contra incêndio
VALE S.A.
SOTREQ
KOMATSU
ELETROBRAS
WEG
E MUITAS OUTRAS
FAÇA SEU PROJETO COM A ELFIRE
A Elfire hoje tem simplificado tudo no gerenciamento de proteção de incêndios, um processo muitas vezes confuso e burocrático para as empresas em todo o Brasil.
Fale com um agora!