Projeto de extintor de incêndio: porque ele é tão importante?

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Sumário
ilustração de seis extintores de incendio

Toda edificação precisa de quatro projetos básicos, independentemente do tipo de edificação e da sua área de risco. São eles: o projeto de extintor de incêndio, o projeto de saída de emergência, o projeto de iluminação de emergência e o projeto de sinalização de emergência.

Por aqui, iremos falar sobre o projeto de extintor de incêndio. Mas, caso queira saber mais sobre os outros projetos, basta acessar: Projetos de Prevenção e Combate a Incêndios

Dimensionamento de extintores de incêndio

A função dos extintores é nos proteger de princípios de incêndios. Sua utilização permite apagar as chamas incipientes ou, ao menos, conte-la até a chegada do corpo de bombeiros. Mas, para que isto aconteça, primordialmente, eles precisam estar corretamente posicionados e em números estratégicos. Estes são requisitos estabelecidos no projeto de extintor de incêndio, cuja base é o atendimento às exigências que precisam ser seguidas. 

O dimensionamento correto dos extintores de incêndio oferece a legalidade junto ao corpo de bombeiros militar e, mais importante do que isto, protege vidas e patrimônios de forma eficaz. Temos um vídeo do nosso CEO, Márcio Ferreira, onde ele explica sobre o dimensionamento e a importância de extintores de incêndio. Para assisti-lo, basta clicar na foto abaixo ou no link do vídeo.

Caso você não tenha visto ainda, nós temos um outro artigo detalhado sobre o que são os extintores de incêndio e suas características: Extintores de incêndio: domine tudo sobre eles 

Capacidade extintora

Para iniciar o dimensionamento correto dos extintores de incêndio, é preciso saber uma diferença que a maioria das pessoas no Brasil não conhecem ou não entendem sobre:

Qual a diferença entre capacidade nominal e capacidade extintora? 

Se você assistiu ao vídeo do Márcio, você já sabe a resposta.

O que geralmente acontece é que, a escolha do extintor de incêndio, ela acaba sendo feita pela sua capacidade nominal quando uma pessoa vai comprar. A capacidade nominal é o quanto o extintor de incêndio tem dentro dele. Um exemplo que podemos dar são os modelos existentes no mercado brasileiro de pó químico seco (PQS): 2 kg, 4 kg, 6 kg, 8 kg, 12 kg, 20 kg, 25 kg, 30 kg, 50 kg e 55 kg. 

Mas, não se escolhe extintor de incêndio pela sua capacidade nominal, e sim pela sua capacidade extintora. Capacidade extintora faz parte do projeto de fabricação do extintor de incêndio e é definida por ensaio prático normalizado. Quando vemos os números na frente das letras das classes extintora (A, B, C), isto representa quanto o extintor de incêndio apaga, ou seja, sua capacidade extintora para a respectiva classe. Vejamos um exemplo que você pode encontrar no portfólio de uma empresa que vende extintores:

ilustração de uma tabela com a capacidade dos extintores

Neste exemplo, para a classe de fogo ABC, o agente extintor é fosfato monoamônico, com capacidade nominal de 12 kg e capacidade extintora de 3A:20B:C.

Esta capacidade extintora significa que apaga 3 quantidades de matérias sólidas que queimam em superfície e em profundidade (3A), 20 quantidades de materiais inflamáveis derivados de petróleo (20B) e 1 quantidade de equipamento elétrico (1C).

Nós utilizaremos neste artigo a Instrução Técnica (IT) do corpo de bombeiros militar (CBM) do estado de São Paulo (SP) como referência. Entretanto, não esqueça de usar a IT do seu estado para o dimensionamento dos extintores de incêndio.

Sendo assim, com base na IT Nº 21/2019 do CBM-SP, as capacidades extintoras mínimas de casa tipo de extintor são estabelecidas de acordo com a tabela a seguir:

ilustração de uma tabela capacidades extintoras mínimas de cada tipo de extintor

Risco da ocupação e distância máxima a percorrer

Para dimensionar os extintores portáteis, utiliza-se três critérios: capacidade extintora, risco de ocupação da edificação e a distância máxima que qualquer pessoa da edificação pode percorrer do ponto de fixação de um extintor de incêndio a qualquer ponto da área protegida por ele. Essas relações são padronizadas de acordo com a NBR 12693/2013 e a IT Nº 21/2019 do CBM-SP.

ilustração de uma tabela com a Risco da ocupação e distância máxima a percorrer

A IT Nº 21/2019 da CBM-SP também estabelece a relação da classe de risco e distância máxima a percorrer para extintores carretas. As distâncias máximas a percorrer para esses extintores devem ser acrescidas da metade dos valores estabelecidos na tabela acima.

ilustração da uma tebela com as distâncias máximas a percorrer para extintores

Posicionamento dos extintores de incêndio

Para posicionar o primeiro extintor de incêndio, seguimos a especificação que ele deve estar localizado a, no máximo, 5 metros da entrada principal da edificação no pavimento térreo ou a 5 metros da escada nos demais pavimentos. 

Estabelecido o primeiro extintor de incêndio e a área de alcance da distância máxima a percorrer que este extintor protege, se estabelece os próximos extintores de incêndio com foco na distância máxima a percorrer, mas com um olhar centralizada e estratégico, até cobrir toda a área da edificação. De acordo com os requisitos legais, cada pavimento deve possuir, no mínimo, 2 extintores de incêndio, sendo uma para Classe A e outra para Classe B e C ou a instalação de 2 extintores de incêndio iguais de pó químico ABC. 

Isto porque o extintor de pó químico ABC pode substituir qualquer tipo de extintor das Classes A, B e C dentro de uma edificação ou área de risco. Se a área construída for inferior a 50 m², é permitido a instalação de um único extintor de pó químico ABC em edificações, mezaninos e pavimentos.

Além disso, para cada risco, no mínimo, 50% dos extintores de incêndio têm que ser constituído por extintores portáteis. Se houver extintores carretas, estes devem ter sua área de proteção restrita ao nível do piso encontrado.

Se a edificação possuir riscos específicos, tais como: casa de caldeira, casa de força elétrica, quadros elétricos, transformadores, contêineres de telefonia, casa de bombas, casa de máquinas, central de armazenamento de gases ou líquidos combustíveis ou inflamáveis, galeria de transmissão, incinerador, locais de materiais metálicos pirofóricos e cozinhas profissionais, estes devem ser protegidos por um extintor de incêndio extra, independente da proteção geral da edificação ou área de risco.

Instalação e sinalização dos extintores de incêndio

Para que os extintores de incêndio sejam rapidamente encontrados e utilizados em caso de uma emergência, eles:

  • Devem estar devidamente instalados de acordo com o projeto, isto significa, em locais de fácil acesso e visualização;
  • Não podem ter obstruções de nenhuma forma;
  • Devem estar com condições operacionais;
  • Não podem estar a mais de 1,60 m acima do piso;
  • Não podem ficar em contato direto com o piso. Eles devem ficar em um suporte, a uma distância mínima de 0,10 m do piso;
  • Devem estar protegidos de intempéries e danos físicos em potencial. Se for instalado em uma área externa, devem ser instalados dentro de um abrigo de proteção apropriado;
  • Não podem estar instalados em parede de escadas;
  • Independentemente do tipo de instalação, os locais destinados aos extintores de incêndio devem estar sinalizados por placas de identificação.

Ficou com alguma dúvida? Envie-nos uma mensagem. Estamos à disposição.

Está precisando de uma consultoria na área? Está precisando de um projeto de extintor de incêndio? Está precisando de extintores de incêndio na sua empresa? Fale conosco também. Ficaremos felizes em lhe ajudar no que for preciso.

Ligue e conte com o mais confiável e eficiente distribuidor para: 

Ligue-nos através do número (11) 32808097 ou, se preferir, envie-nos um e-mail para [email protected]

 

Principais requisitos legais utilizados neste artigo:

  • ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). NBR 12693 – Sistemas de proteção por extintor de incêndio. 2013.
  • Instrução técnica Nº 21 do corpo de bombeiros militar de São Paulo – Sistema de proteção por extintores de incêndio. 2019.
Carolina Fernandes Ribeiro
Carolina Fernandes Ribeiro

Engenheira química, com especialização em engenharia de segurança do trabalho, mestrado em engenharia industrial e participante do grupo de pesquisa em segurança contra incêndio Fire Masters Academy.

Compartilhe
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

Fale com um especialista

Converse com um especialista agora pelo WhatsApp

Obtenhas respostas imediatamente.
Clique aqui
CASES DE SUCESSO
Conheça alguns dos clientes que estão protegidos contra incêndio
VALE S.A.
SOTREQ
KOMATSU
ELETROBRAS
WEG
E MUITAS OUTRAS
FAÇA SEU PROJETO COM A ELFIRE
A Elfire hoje tem simplificado tudo no gerenciamento de proteção de incêndios, um processo muitas vezes confuso e burocrático para as empresas em todo o Brasil.
Fale com um especialista agora!